Ações do Consciência e Consumo em 2014

O consumo na infância é um dos temas fundamentais na pauta do Movimento Consciência e Consumo. Refletir sobre a importância de proteger a infância e a adolescência dos apelos para o consumo e dos conteúdos da mídia é uma ação frequente seja em textos e eventos dos quais participamos. Em 2014, foram muitas as oportunidades para a discussão do tema consumismo infantil.

Em rede pela infância

O Movimento Consciência e Consumo faz parte da Rebrinc e por isso participa dos encontros da Rede Brasileira Infância e Consumo em São Paulo. Criada em junho de 2013, a Rebrinc é uma rede horizontal e colaborativa que reúne, virtual e presencialmente, pessoas físicas, instituições e movimentos em defesa dos direitos de crianças e adolescentes diante das relações com o consumo. Ela articula e mobiliza atores envolvidos na causa do combate ao consumismo na infância e na adolescência; planeja e executa ações em diferentes segmentos, da educação à sustentabilidade. Busca o intercâmbio de ideias e reflexões entre os membros e discute políticas públicas para a promoção dos direitos de crianças e adolescentes em questões relacionadas ao consumo. Também incentiva iniciativas como feiras de troca de brinquedos e debates sobre conteúdo da mídia, publicidade infantil e alimentação saudável.

IV Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2014

IV Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2014

V Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 25 e 26 de abril de 2014

V Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 25 e 26 de abril de 2014

VI Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 25 e 26 de julho de 2014

VI Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 25 e 26 de julho de 2014

VII Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2014

VII Encontro da Rebrinc em São Paulo nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2014

Seminário do Procon-MG pelo protagonismo do consumidor

O protagonismo do consumidor foi o tema da terceira edição do Seminário de Educação para o Consumo do Procon-MG que reuniu, em Belo Horizonte, 21 convidados, dentre painelistas e mediadores, nos dias 22 e 23 de outubro de 2014. Em seis painéis e onze horas de discussões, foram abordadas questões como valores, direitos da infância, consumo e delitos, uso da tecnologia e ações para a mobilização social. O evento contou com a participação de 88 pessoas, sendo consumidores, estudantes, profissionais de áreas como Educação e Direito, e integrantes do Sistema Estadual de Defesa do Consumidor. O seminário é uma ação da Escola Estadual de Defesa do Consumidor, do Procon-MG, que compõe o Ministério Público de Minas Gerais, e contou com a colaboração do Movimento Consciência e Consumo. Participaram do seminário, as integrantes do Consciência e Consumo, Desirée Ruas, jornalista, e Ana Mansoldo, psicóloga e especialista em Educação Ambiental.

No painel, “Consumo, valores e protagonismo social”, Ana Mansoldo lembrou que toda sociedade sempre foi de consumo, já que sempre foi necessário consumir para a sobrevivência dos povos. “A diferença da sociedade de hoje é a nossa cultura do consumo e a grande identificação das pessoas com os bens. Somos seres carentes de significado e pertencimento e o mercado se apropria dessa nossa carência. Mas nossa carência real não é de bens”, destacou. A especialista disse que, dentro da cultura do consumo, as celebridades vendem qualquer coisa. “Temos um mundo com símbolos vazios e somos reféns da doce ilusão da felicidade. Vivemos os sintomas culturais. E como definiu o educador Paulo Freire, nós precisamos sair da consciência ingênua para uma consciência crítica”, frisou Ana Mansoldo. “Ser protagonista não combina com manipulação do mercado. Para sermos protagonistas precisamos ter consciência das nossas escolhas e nos responsabilizarmos por elas”, concluiu.

No painel “Direitos da infância e regulação da comunicação mercadológica”, a coordenadora do Movimento Consciência e Consumo, Desirée Ruas, participou como mediadora e frisou a importância e a urgência de nós, adultos, defendermos os direitos da infância também com relação ao bombardeio publicitário que vende não apenas produtos mas valores e visões de mundo.

“Mobilização para o protagonismo do cidadão e do consumidor – o que pode ser feito” foi tema de um dos painéis do segundo dia do seminário do Procon-MG. Desirée Ruas, que participou como palestrante, reuniu exemplos de ações coletivas que mostram a importância das redes sociais para o exercício do protagonismo do consumidor. Ela lembrou que a palavra protagonista significa ‘primeiro lutador’ e que hoje vivemos uma guerra com o bombardeio do marketing sobre o consumidor. “Temos que ter a iniciativa de sermos os primeiros lutadores, aqueles que assumem a liderança no processo de mudança da sociedade”, enfatizou. Um desses exemplos de mobilização nas relações com o consumo é o Movimento Põe no Rótulo, que reúne famílias de  alérgicos. Elas pedem a informação completa e clara nos rótulos sobre os ingredientes que podem desencadear reações alérgicas nos consumidores. Uma consulta pública sobre o tema foi realizada pela Anvisa em resposta à mobilização das famílias. Também para a proteção dos direitos das crianças nas relações de consumo, foram divulgados durante o painel o Movimento Infância Livre de Consumismo, Milc, e a Rede Brasileira Infância e Consumo, Rebrinc. Desirée Ruas, que é integrante da Rebrinc desde sua criação, falou da importância da regulação da comunicação mercadológica dirigida às crianças e aos adolescentes e da necessidade das famílias se engajarem em ações que questionam a pressão do consumo sobre seus filhos.

 

Painel Direitos da Infância e Regulação da Comunicação Mercadológica

Painel Direitos da Infância e Regulação da Comunicação Mercadológica

A educadora do Consciência e Consumo Ana Mansoldo durante o II Seminário de Educação para o Consumo do Procon-MG

A educadora do Consciência e Consumo Ana Mansoldo durante o II Seminário de Educação para o Consumo do Procon-MG

 

Educação para o Consumo do Procon-MG

Público do Seminário de Educação para o Consumo do Procon-MG

Dentre suas ações em empresas e escolas, no mês de outubro, o Consciência e Consumo também participou de um evento na agência Rio de Janeiro do Banco do Brasil em Belo Horizonte falando sobre consumo e sustentabilidade.

Palestra do Consciência e Consumo no Banco do Brasil

Palestra do Consciência e Consumo no Banco do Brasil

Palestra do Consciência e Consumo no Banco do Brasil

Palestra do Consciência e Consumo no Banco do Brasil

 

Em novembro, no dia 25, o Consciência e Consumo participou do Café com Prosa no Impact Hub com o tema “Consciência, escolhas e protagonismo”, em Belo Horizonte.

Consciência, escolhas e protagonismo: debate no Impact Hub de BH

Consciência, escolhas e protagonismo: debate no Impact Hub de BH

Desirée Ruas e Ana Mansoldo no evento do Consciência e Consumo no Impact Hub BH

Desirée Ruas e Ana Mansoldo no evento do Consciência e Consumo no Impact Hub BH

 

Além dos encontros presenciais e conteúdo produzido para o site, o Movimento Consciência e Consumo participou de várias iniciativas nas redes sociais em defesa da alimentação saudável e combate ao uso de agrotóxicos, pela preservação de áreas verdes, pela infância, democratização da mídia, cidadania e por uma cidade mais sustentável. Diversas entrevistas para veículos de comunicação impressos, além de emissoras de rádio e TV também foram realizadas com a participação do Movimento Consciência e Consumo. Estivemos em matérias do Jornal Estado de Minas e do Portal Uai, na TV Câmara, da Câmara Municipal de Belo Horizonte; na Rede Minas, na Rádio Autêntica FM, dentre outros.